Teste rápido de zika garante assistência a crianças e gestantes

Ministério da Saúde investiu R$ 119 milhões na compra de 3,5 milhões de exames com capacidade de detectar o vírus em 20 minutos

A compra de 3,5 milhões de testes rápidos para zika vírus vai permitir um controle eficaz da contaminação e uma assistência imediata a crianças e gestantes, afirmou nesta quarta-feira (26) o ministro da Saúde, Ricardo Barros, em entrevista ao Portal Brasil. Desenvolvida no Brasil, a tecnologia confirmará o resultado em 20 minutos.

De acordo com o Ministério da Saúde, a primeira remessa, com 2 milhões de testes, será entregue ainda neste ano. O restante estará disponível até fevereiro de 2017.

Como detecta se a pessoa tem o vírus ou se já foi infectado pelo zika em algum momento da vida, o teste é mais eficaz que o disponível atualmente. O diagnóstico é feito com o contato de uma gota de sangue em duas tiras – uma delas vai analisar infecções recentes, de até duas semanas, enquanto a outra vai identificar casos mais antigos.

“O teste de zika vírus é um teste rápido, dá resultado em 20 minutos, será feito em gestantes e crianças de até um ano para que possamos identificar, eventualmente, a contaminação pelo vírus e dar acompanhamento imediato da nossa área de assistência à saúde, do centro de recuperação, para essas crianças que eventualmente tenham identificado o vírus e também para gestantes”, disse o ministro.

Economia

O governo investiu R$ 119 milhões para a compra dos testes, com estimativa para suprir a rede de saúde por 12 meses. A negociação com o laboratório público Bahiafarma permitiu a compra do teste por R$ 34 cada, quase quatro vezes menor que outra empresa do mercado. Para Ricardo Barros, a compra faz parte de um esforço para aliar produção de tecnologia brasileira com economia.

“Esse teste do zika vírus é um exemplo de uma ação de sucesso. Já temos essa alternativa para oferecer ao mercado e o governo comprando pelo preço muito barato, relativamente aos que são ofertados aí no mercado”, disse.

(Via agência de notícia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *