Temer distribui carta para parlamentares pedindo que não votem contra ele

Temer distribui carta para parlamentares pedindo que não votem contra ele

O presidente Michel Temer que atualmente é alvo de mais uma denúncia que está prestes a ser

Votada na Câmara dos Deputados teve a iniciativa de enviar na manhã da segunda-feira (16) uma carta aos parlamentares onde declarou que está sendo vítima de conspiração.

Conspiração essa que começou por parte do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot e

Também do doleiro Funaro que atualmente foi responsável por fazer uma delação onde contou que Eduardo Cunha comprou o impeachment da ex-presidente Dilma.

Temer distribui carta para parlamentares pedindo que não votem contra ele

Segundo informações a carta escrita pelo presidente foi entregue aos Deputados e Senadores em Brasília pelos funcionários do Palácio do Planalto.

Com medo de que alguns parlamentares não recebam a sua carta, Temer não pensou duas vezes

E preparou uma carta em versão digital para ser encaminhada por e-mail ou pelo WatssApp.

Para garantir que nenhum deles fiquem sem ler as suas palavras a qual ironiza está sendo perseguido.

Decepcionado com todas as polêmicas que tem envolvido seu nome, logo na primeira frase da

Carta encaminhada o peemedebista diz ter sido “vítima de torpezas e vilezas” desde maio.

Temer distribui carta para parlamentares pedindo que não votem contra ele

Temer ressaltou ainda que existe uma grande conspiração por trás de todas as denúncias apresentadas contra ele, e que o único intuito é derrubá-lo, mais garante que esses fatos narrados na denúncia são inadmissíveis.

Sem ter como se explicar, como tentativa de se livrar da segunda denúncia Temer garante que

Todas essas acusações que ele enfrenta, começou com o áudio de dirigentes da empresa JBS,

Liderada pelos empresários Joesley e Wesley Batista, atualmente presos após violarem o acordo de delação premiada fechada com a Procuradoria Geral da República.

Temer diz que percebeu que o único objetivo de Janot era de derrubá-lo e para isso buscou Funaro que fez uma delação premiada.

Mesmo assim Temer afirmou que “sequer conhecia” Funaro, a quem chamou de “delinquente”.

Temer relatou toda a sua indignação nesta carta e seu pedido de socorro, ele também pediu pelo

Apoio do Congresso, afirmando que é necessário “estabelecer a verdade dos fatos”