Suspeita confirmada: Procuradoria Geral da República ajuda ação nos EUA contra a Petrobrás. Veja no vídeo.

Confira!

O Na mira da notícia traz as últimas notícias do dia pra você.

O que era uma suspeita de que a procuradores brasileiros estavam colaborando com a Justiça dos Estados Unidos contra os interesses da Petrobras e do Estado brasileiro, agora se confirmou.

O ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, confirmou que fechou, com auxílio da Procuradoria-Geral da República, um acordo de colaboração com órgãos norte-americanos de Justiça, onde existem ações contra a Petrobras e que pedem indenizações milionárias.

Paulo Roberto Costa teria tido duas reuniões sobre este tema com autoridades dos Estados Unidos e do Brasil. Essa confirmação vai de encontro com as suspeitas apontadas pela defesa do ex-presidente Lula de que a força-tarefa da Operação Lava Jato colabore em caráter não formalizado com o governo dos Estados Unidos.

As ações contra a empresa estatal brasileira são movidas por investidores norte-americanos, muitos conhecidos como abutres. Logo após as denúncias de corrupção na empresa, eles entraram com ações para arrancar dinheiro da empresa brasileira alegando prejuízo bilionário pela corrupção. Procuradores, segundo Roberto Costa, estão ajudando nas ações.

Veja no vídeo abaixo o áudio a partir dos 22 minutos. Paulo Roberto Costa nega informações e os advogados do ex-presidente Lula reclamam da negação e do sigilo da testemunha, dizendo que não há previsão legal no Brasil. E segue-se o seguinte diálogo:

Sérgio Moro: Se ele faz um acordo nos EUA, imagino que lá é coberto pela lei americana.
Advogados: O problema é que nós estamos imaginando.

Em pronunciamento no plenário da Câmara dos Deputados , o deputado Paulo Pimenta denunciou a relação do juiz Sérgio Moro e da Procuradoria Geral da República (PGR) com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos. O parlamentar destacou que dois delatores da Operação afirmaram em seus depoimentos que estão mantendo diálogos com os órgãos de justiça americanos através de contatos realizados pela PGR.

“A PGR oferece réus da Operação Lava Jato para colaborar com os EUA em ação contra a Petrobrás, isso é um crime de lesa-pátria”, afirmou Pimenta. O deputado ainda falou que vai recorrer a todas as comissões da Câmara para convocar todos os envolvidos nessa relação com os Estados Unidos para que eles prestem esclarecimentos. O parlamentar ainda afirmou que essa relação se dá para enfraquecer a maior empresa nacional e facilitar para que o governo golpista entregue a Petrobrás para as grandes petroleiras americanas.

 

(Via agência de notícia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *