Renan Calheiros diz que só irá ter paz quando colocar Sérgio Moro na CADEIA!

Confira!

O Na mira da notícia traz pra você as últimas notícias do dia.

Acuado diante de investigações contra si encontra senadores, o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), partiu para o ataque. Nesta última segunda-feira, Calheiros disse que não irá ficar em paz enquanto Sergio Moro estiver solto. Disse que o juiz já está levando a situação para o lado pessoal. Renan disse também que fará de tudo pra colocar Moro na cadeia, pois o mesmo vêm abusando da autoridade que tem como juiz federal.

Além de Sérgio Moro, o peemedebista disparou críticas para quase todos os lados e aprofundou uma crise institucional instalada na semana passada entre os senadores, a Justiça Federal e o Executivo.

Durante a votação na Câmara dos Deputados do pacote de medidas de combate à corrupção propostas pelo Ministério Público Federal, aprovado na madrugada da última terça-feira (30) por 450 votos a 1, diversos destaques (sugestões de mudança ao texto) foram apresentados e aprovadas pelos deputados, desfigurando o projeto original.
O texto original do pacote anticorrupção tinha dez medidas e foi apresentado pelo Ministério Público Federal com o apoio de mais de 2 milhões de assinaturas de cidadãos.

Uma das propostas mais polêmicas, o destaque apresentado pelo PDT cria a punição para juízes e membros do Ministério Público Federal por abuso de autoridade. A proposição foi aprovada por 313 votos a favor, 132 contra e cinco abstenções
A emenda lista as situações em que juízes e promotores poderão ser processados, com pena de seis meses a dois anos de reclusão. Entre as condutas que passariam a ser crime estariam a atuação dos magistrados com motivação político-partidária e a apresentação pelo MP de ação de improbidade administrativa contra agente público “de maneira temerária”. Nesse caso, além de prisão, os promotores também estariam sujeitos a indenizar o denunciado por danos materiais e morais ou à imagem que tiver provocado.

(Via agência de notícia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *