Pastora doa onze mil reais para que o diabo continue sambando no barracão de Terreiro

Terreiro de Candomblé recebe doação

Pastora doa onze mil reais para que o diabo continue sambando no barracão de Terreiro

Um gesto do verdadeiro mandamento que Jesus Cristo deixou escrito a qual nos deixa a obrigação de amar o próximo como a nos mesmo deixou milhares de pessoas do mundo inteiro

Impressionados e um tanto emocionados.

Um gesto simples mostra que a fé tem rompido barreiras que são colocadas por uma sociedade preconceituosa.

Uma Igreja Evangélica será responsável por doar R$ 11.000,00 (onze mil reais) para um barracão de candomblé da mãe de santo Conceição d`Lissá.

Pastora doa onze mil reais para que o diabo continue sambando no barracão de Terreiro

Esse barracão foi vítima de um incendia a três anos e desde então tem tentado se reconstruir, e

Essa ajuda que a igreja evangélica ofereceu veio em boa hora pois o dinheiro será usado para a reconstrução do espaço.

A ideia da doação do dinheiro ao barracão é fazer com que a intolerância religiosa chegue ao fim de uma vez por todas.

Os terrenos de candomblé e umbanda tem sido vítima de grupos ditos evangélicos e diante a

Destruição do terreiro de Conceição d´Lissá em Duque de Caxias Rio de Janeiro é que a

Pastora Luterana Lusmarina Campos Garcia teve a brilhante ideia de ajudar na reconstrução do terreiro.

Pastora doa onze mil reais para que o diabo continue sambando no barracão de Terreiro

A pastora fez questão de afirmar que isso sim significa algo grande para Deus já que o que está relacionado é algo maior que a reconstrução do espaço físico.

Este ato reconstrói relações e afirma que é a partir da solidariedade que é possível estabelecer a

Paz, a comunhão e o amor entre as diferentes religiões.

“Onde uns destruam, outros ajudam, temos que combater todas as ações de ódio, preconceito,

Racismo e intolerância religiosa, nos unir em prol das diversidades, liberdades, pluralidade e

Humanidade para que juntos possamos construir, efetivamente, um país das liberdades e diversidades respeitando as alteridades”