Os delatores Joesley e Wesley Batista, responsáveis por citar Temer e Aécio em delação premiada, contam as autoridades que receberam ameaças de morte!

Os delatores Joesley e Wesley Batista, responsáveis por citar Temer e Aécio em delação premiada, contam as autoridades que receberam ameaças de morte!

Morte

Joesley e Wesley Batista correm risco de #morte. Os irmãos que denunciaram, em #delação premiada, que gravaram o #presidente Michel Temer dando o aval para a compra de sigilo de do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB -RJ), estão sendo #ameaçados. Pelo menos foi o que os dois afirmaram às autoridades.

 

 

Os donos da JBS já foram autorizados, inclusive, a voltar aos Estados Unidos, onde moram, por questões de segurança.

#Joesley tem uma apartamento em uma das vizinhas mais caras de Nova York, a Quinta Avenida.

Wesley também mora em Nova York. Em entrevista ao porteiro da residência de Joesley, que teria informado que a família saiu da casa com malas.

Os irmãos não se pronunciaram à imprensa sobre as ameaças.

Lembrando:

Donos da JBS, os empresários Joesley Batista e seu irmão Wesley fizeram nesta quarta-feira 17 uma denúncia explosiva ao ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, segundo o jornal O Globo.

Os empresários disseram ter #gravações de Michel Temer dando aval para a #compra de silêncio de Eduardo Cunha, #ex-presidente da Câmara e deputado cassado, hoje condenado e #preso.

 

 

O senador #Aécio Neves (PSDB-MG) também foi gravado, pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, em cena filmada pela Polícia Federal. A PF rastreou o dinheiro e descobriu que ele foi depositado numa empresa do senador Zezé Perrella (PSDB-MG).

Segundo reportagem do Globo, “os diálogos e as entregas de malas (ou mochilas) com dinheiro foram filmadas pela PF. As cédulas tinham seus números de série informados aos procuradores. Como se fosse pouco, as malas ou mochilas estavam com chips para que se pudesse rastrear o caminho dos reais. Nessas ações controladas foram distribuídos cerca de R$ 3 milhões em #propinas carimbadas durante todo o mês de abril”.

Em duas oportunidades em março, Joesley conversou com o presidente e com o #senador tucano levando um gravador escondido. A delação dos irmãos Joesley tem ainda um histórico de propinas pagas a políticos nos últimos dez anos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *