Lula será ouvido hoje por Moro, mas como testemunha de ação contra Cunha

Confira!

O ex-presidente Lula deve depor, pela primeira vez, diante do juiz Sergio Moro, mas no processo que diz respeito ao deputado cassado Eduardo Cunha. Ele será ouvido por teleconferência, a partir de sua cidade, São Bernardo do Campo. A previsão é de que isso aconteça no final da tarde desta quarta (30).

Antes de Lula, Moro deve ouvir o pecuarista José Carlos Bumlai, por volta das 17h, segundo informações do G1. Este será, contudo, o segundo depoimento de Bumlai no mesmo dia. Antes, ele deve participar de uma audiência do caso triplex, em que Lula é acusado de receber propina da OAS na forma de um apartamento no Guarujá, entre outras vantagens indevidas.

Ao longo do dia, Moro deve tocar as oitivas do processo de Lula. As audiências devem começar por volta das 9h30, com quatro testemunhas de acusação. Entre elas, Bumlai e o empresário Armando Dagre Magri, dono da Tallento Construtora.

O Ministério Público Federal aponta que a Tallento foi uma empresa de arquitetura contratada pela OAS para fazer uma reforma e personalização no triplex 164-A do condomínio Solaris. Há funcionários da empresa que dizem ter acompanhado a visita que os familiares de Lula e o próprio ex-presidente fizeram à unidade, demonstrando interesse na compra.

Clique aqui para entender o caso triplex.

“À tarde, a partir das 14h, Moro retoma a audiência do processo contra Lula para ouvir mais três testemunhas de acusação. Dessas, duas são ex-executivos da construtora OAS, que trabalhavam na empresa à época em que as supostas irregularidades teriam ocorrido”, diz o G1.

“Bumlai voltará a ser ouvido a partir das 17h30, no processo contra Eduardo Cunha, mas dessa vez na condição de testemunha de defesa. A ação contra o ex-deputado trata sobre o pagamento de propina devido ao contrato de exploração de petróleo no Benin, na Áfica. Segundo o MPF, Cunha também usou contas na Suíça para lavar o dinheiro.”

Em seguida, Moro deverá falar com o ex-presidente Lula, que também foi arrolado pela defesa de Cunha como testemunha, assim como o presidente Michel Temer (PMDB).

(Via agência de notícia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *