Casal adota 12 meninos com HIV. Veja o porque!

Confira!

Na mira da notícia traz pra você as últimas notícias do dia!

Amor e compaixão. O que essas palavras significam para você? Você seria capaz de realizar algum feito incrível para ajudar crianças carentes, animais abandonados, etc? Pois é, o casal Ajay Sharma e Babita, felizmente, tem esse tipo de mentalidade.

A história deles começou lá em 2004 quando o homem acabou sofrendo uma hemorragia cerebral, ficando em coma por cerca de 15 dias. Aquilo foi o suficiente para que Ajay percebesse a importância da vida, o que resultou em um projeto para ajudar crianças carentes.

Assim, após abandonar seu emprego no Governo de Phalawada, ele começou a ensinar crianças que moravam em favelas. Mas foi em 2008 que tudo realmente mudou: a adoção de uma criança com HIV que perdeu os pais e foi abandonada pela família. Como Ajay poderia deixá-la desamparada, afinal?

1

2

“Minha consciência não me permitia deixar essa criança. Trouxe-o para casa e cuidei dele. Felizmente, ele reviveu”, disse o homem, segundo o The Better India, ao vê-lo completamente debilitado, sem chances de vaga em hospitais.

Com o tempo, o homem começou a transformar milhares de vidas, adotando cerca de 12 meninos com HIV nas mesmas condições que o primeiro: abandonado pela família. A idade delas varia de 7 a 17 anos. “Comecei a pensar por que a sociedade é tão injusta com uma criança que não tem culpa alguma por estar sofrendo. E resolvi mudar essa atitude”, disse ele.

Obviamente, nada foi assim tão simples, principalmente porque era praticamente impossível abrigar tantas pessoas em uma casa só. Quando finalmente conseguiram uma, em Ganganagar, em Meerut, na Índia, começaram a perceber certos problemas com os vizinhos, preconceituosos em relação a doença das crianças.

1

Com o tempo, a aceitação deles dentro do bairro foi cada vez melhor e hoje, Ajay recebe apoio de profissionais como médicos e professores, sempre dispostos a consultar e ensinar cada um dos meninos.

Incrível inciativa, não?!

(Via agência de notícia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *