Alemanha afirma ter indícios de que Rússia manipulou eleições nos Estados Unidos

Órgãos de inteligência alemães agora temem a invasão de Moscou no processo que deve apontar a permanência de Merkel no poder ou o sucessor

Durante as eleições dos Estados Unidos que resultou na vitória do magnata Donald Trump à Casa Branca, no dia 9 de novembro, boatos de que hackers russos teriam interferido no resultado das eleições se espalharam pelo mundo. Agora, é a Alemanha que também teme uma invasão de Moscou em seu processo eleitoral, que acontece em 2017.

De acordo com o jornal britânico “The Guardian”, o chefe do serviço de inteligência alemão emitiu um comunicado oficial nesta quarta-feira (29), alertando que hackers russos podem tentar, sim, interferir nas eleições do país europeu.

Além de enaltecer a ameaça a Berlim, Bruno Kahl, presidente do órgão de pesquisa europeu “Bundesnarchrichtendienst”, diz acreditar que a Rússia pode ter interferido nas eleições presidenciais de Washington.

“Temos evidências de que ciberataques estão ocorrendo com intenções políticas incertas”, afirmou Kahl ao jornal dinamarquês “Süddeutsche Zeitung”.

“Acreditamos que as pessoas por trás desses ataques estão interessadas em deslegitimar os processos democráticos. Temos indícios de que esses ataques advém da Rússia”, assegura.

Kahl ainda explicou que esses tipos de ataque servem para “criar uma impressão e demonstrar poder”.

A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou que os ciberataques passaram a ser parte da política e o governo deve aprender a “lidar com eles”. “Temos que informar as pessoas e nunca deixar de expressar nossas convicções políticas”, postulou Merkel.

ft

Presidência da Rússia

A Rússida de Vladimir Putin também é acusada de estar por trás de uma onda de notícias falsas

Notícias Falsas

Assim como ocorreu nos EUA, diversas notícias falsas sobre as corrida eleitoral alemã, que ainda nem começou, já tomaram conta de internet, preocupando órgãos públicos, políticos e ativistas.

A Rússia também é acusada de estar por trás de uma onda de informações errôneas que já se espalharam pelo Alemanha, aumentando a preocupação desses grupos.

Hangs-Georg, presidente da Agência de Inteligência “Bfv”, também afirmou que o ciberespaço se tornou um local “híbrido” de guerra e que a Rússia é um dos seus principais personagens.

“Little Help”

Depois de vencer a corrida eleitoral à Casa Branca, em novembro, o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, recebeu um telegrama de Putin em que ele afirmava “estar seguro no diálogo entre Moscou e Washington, que deve se basear no respeito recíproco, atendendo aos interesses dos dois países”.

Ainda durante o processo eleitoral contra a democrata, Hillary Clinton, Trump foi acusado de facilitar a entrada de hackers russos nos servidores do partido Democrata,  manipulando os resultados das eleições.

(Via agência de notícia)

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *