Advogados da Odebrecht estão orientando clientes a não delatar membros do Judiciário

Confira!

O Na Mira da Notícia com as últimas notícias do dia.

O ministro João Otávio de Noronha, corregedor nacional de Justiça, confirmou ontem que vai investigar a conduta da ex-ministra do STJ Eliana Calmon. O Na Mira da Notícia apontou que ela recebeu doação de R$ 250 mil da OAS, investigada na Lava-Jato, durante sua campanha para senadora, em 2014, pelo PSB da Bahia.

Veja só. Desde agosto, Calmon vem mexendo num vespeiro repetindo que delação da Odebrecht sem pegar o Judiciário não é delação.

O pessoal do MP que atua na Lava-Jato desconfia que advogados que acompanham as delações aconselham seus clientes a não mexerem com o Judiciário. A razão, além de não arrumar mais problema, é preservar alguns escritórios de advocacia intermediários nestas tenebrosas transações. Será?

 

(Via agência de notícia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *