​O exército canadense investiga ruído misterioso no Ártico

Na pequena aldeia ártica de Igloolik, em Nunavut, no Canadá, caçadores afirmam que um ruído misterioso das profundezas do oceano está afastando toda a vida selvagem

De acordo com a CBC, os habitantes da região têm teorias diferentes sobre a fonte do zumbido. Muitos atribuíram o barulho a uma companhia mineradora que opera nas proximidades; outros dizem ser sabotagem do Greenpeace. Ambas as entidades negaram ter qualquer coisa a ver com o fenômeno, porém.

Embora o Ártico se abra cada vez mais para operações de mineração, turismo e exercícios militares, o sibilo permanece inexplicável. Sem pistas e sem ter a quem recorrer, o gabinete do primeiro-ministro de Nunavut chamou o Departamento de Defesa Nacional (DND, na sigla original) para investigar o caso.

“O Departamento de Defesa Nacional foi informado de ruídos estranhos emanando das áreas Fury e Hecla Straights, e as forças armadas do Canadá estão investigando a situação”, me disse Evan Koronewski, porta-voz da DND, por e-mail. “Apreciamos essas informações fornecidas pelo governo de Nunavut e iremos acompanhar com o gabinete do primeiro-ministro assim que a investigação estiver concluída.”

Ao que parece, o Canadá está se tornado a terra oficial das merdas no estilo Arquivo X. Não é a primeira vez que os habitantes locais chamam o governo para investigar ruídos estranhos. Cidadãos de Windsor, em Ontário, há tempos são incomodados pelo que chamam de “zumbido de Windsor“.

Em 2014, um resumo público de um relatório governamental a respeito desse ruído misterioso afirmou que sua origem não fora estabelecida ainda, mas que é provável que se trate de operações industriais na área.

Ainda não está claro se a investigação do DND a respeito do ruído do Ártico será frutífera, mas, até que haja algumas respostas, os caçadores de Igloolik continuarão putos.

(Via agência de notícia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *